Publicado em Educação, familia, Histórias, infância, Solidariedade

O prometido é devido!

A poucos dias do fim de mais um ano, aqui me encontro para partilhar convosco o resultado de um desafio surpreendente.

Há já alguns anos que mantenho uma relação próxima com a realidade do acolhimento de crianças. É uma resposta social existente há muitos anos, mas que muitos desconhecem, ou tendem a ignorar.

No início de dezembro criei um evento para recolha de produtos para as crianças do Centro de Acolhimento – Mão Amiga. Esta é uma casa que acolhe temporariamente 12 crianças (0-6anos), um espaço onde se privilegia a individualidade e os afetos. Neste contexto, assumem como compromisso ” Mudar a vida das crianças” preparando-as para um futuro melhor. Que ambição! Vale a pena conhecer esta realidade.

Posso afirmar que conseguimos o objetivo da recolha de várias dezenas de produtos e lá fomos muito contentes fazer a respetiva entrega. A entrega foi feita à Diretora Técnica, que muito agradeceu a iniciativa. De muitas coisas que partilhámos uma ecoou no meu coração e por isso aqui vai: “estas ajudas são vitais para a nossa atividade. O que nos trazem ajuda muito, no entanto como temos muitas crianças, acaba por dar para menos de um mês”.

Só assim se compreende a grandeza de pequenos gestos. Como já dizia a minha avó : “Onde todos ajudam, nada custa!”

Ajudar é muito gratificante, mas mais gratificante é perceber o que conseguimos com a ajuda!

O prometido é devido… aqui fica o meu obrigada a todos que colaboraram. Aos que não conseguiram fazer lançamos o desafio de o fazerem durante o ano que aí vem. ❤️

 

♥ amordeducacao@gmail.com ♥

Acompanha as novidades no facebook e Instagram @amor.d3ducacao

Publicado em crianças, Educação, Histórias, infância, Parentalidade consciente

Fomos “bibliotecar”

IMG_4371Hoje fomos “bibliotecar”… na verdade, podíamos ter escolhido outro programa, mais “fashion”… também podíamos ter ido viajar, correr, comprar ou simplesmente passear, mas decidimos mergulhar no mundo literário.

A biblioteca é um recurso fundamental face aos desafios da sociedade atual, é um espaço mágico onde fantasia, criatividade e conhecimento se reúnem. É um espaço com um enorme potencial para promover aprendizagens. Além do mais, é um espaço que está ao acesso de todas as famílias e crianças. Hoje em dia as bibliotecas têm uma oferta diversificada, através da dinamização de atividades para crianças e famílias.

 

Cada ida à biblioteca tem um encanto especial!  Este é igualmente um espaço emocional, um espaço que me traz recordações da infância e dos meus tempos de estudante. No fundo, talvez por isso, goste tanto de “bibliotecar”. Desde pequenos que os meus filhos são frequentadores deste espaço. A realidade, é que com esta rotina têm vindo a desenvolver o gosto por observar, manusear e desfolhar livros, apreciar ilustrações, escolher livros mediante o seu interesse, conhecer autores, aumentar o vocabulário e o interesse por ler, ouvir histórias, inventar e recriar.

Os livros são excelentes conselheiros, ensinam, permitem pensar com calma e sentir o que nos vai na alma. É precisamente nesta relação com os livros e através de experiências literárias positivas, que as crianças desenvolvem inúmeras competências que irão facilitar o processo de aprendizagem da leitura e da escrita.

Ao contactarem com este contexto valioso, as crianças:

  • desfrutam de momentos lúdicos e de lazer;
  • aprendem a fazer silêncio e a saber escutar;
  • respeitam regras e comportamentos;
  • interagem e colaboram em contexto de grupo;
  • podem escolher, explorar e ser autónomos;
  • encontram respostas para perguntas;
  • desenvolvem a comunicação e diferentes formas de expressar o que sentem.

Deste modo, ao criarmos hábitos ir à biblioteca, na rotina familiar, estamos a oferecer momentos para criar laços, reforçar vínculos e a contribuir para o desenvolvimento da linguagem, da imaginação e da criatividade. Tal prática facilita a integração de valores, atitudes e comportamentos positivos que, por sua vez, possibilitam o conhecimento e compreensão do mundo real. Só vantagem em “bibliotecar”!

Para terminar, recomendo a leitura, em família, do livro ” Uma biblioteca é uma casa onde cabe toda a gente” da Mafalda Milhões. e partilho uma citação de que gosto, particularmente,

“É preciso explicar às pessoas …,
é preciso explicar aos pais e educadores o que eles podem fazer
para preparar a criança para a
leitura, dar-lhe o gosto das
letras, incentivar as suas iniciativas de escrita,
fazer-lhe sentir o lado expressivo da língua.
(…) O futuro da leitura está nas
nossas mãos e na determinação da nossa acção.”

(José Morais, A Arte de Ler)

Dúvidas e partilhas →  amordeducacao@gmail.com

⇒ Segue-nos no facebook e Instagram @amor.d3ducacao

 

Publicado em Educação, Histórias, infância

Uma história por dia…

A leitura de histórias estimula o desenvolvimento da criança e que promove a aquisição de novas competências e capacidades. Ao viajar pelo mundo, as criança, alimenta a imaginação, satisfaz a curiosidade, aumenta o vocabulário, desenvolve o pensamento lógico e acima de tudo vive momentos de prazer.

As crianças gostam de comunicar e interessam-se por tudo aquilo que as rodeiam. Gostam de imitar, de brincar ao faz-de-conta, de saber e de conhecer. A linguagem surge como forma de se expressar, de chegar ao outro, de expressar sentimentos e é através dos momentos lúdicos e de prazer que começa a desenvolver o gosto pela leitura e mais tarde pela escrita

Investir nestes “momentos mágicos”, é uma excelente oportunidade para partilhar e comunicar a linguagem dos afectos. Para ser positivo, deve ser um momento de prazer para ambos e propício para o fortalecimento de laços. Sou fã destes momentos, pelo que proporcionam ao nível da relação e como facilitadores da comunicação. São momentos de proximidade que a criança guardará para sempre no baú das memórias.

Para começar…

1- Acredite!

2- Conte a história no quarto, para que a criança associe que é um momento calmo que antecede o sono (dá imenso resultado na preparação para uma noite tranquila);

3- Escolha histórias adequadas à idade (relação texto/imagem);

4- Envolva a criança na escolha da história, não se admire se escolher todos os dias, a criança gosta de previsibilidade e assim sabe sempre o que vem a seguir;

5- Conte histórias com recurso a imagens;

6- Proponha a troca de papéis, porque não sermos nós a ouvir a história?

7- Conte histórias da “cabeça”, inventadas com base em coisas que aconteceram no dia da criança, é uma excelente forma de resolução de situações que preocupam a criança e que muitas vezes geram medos.

Aqui está uma prova de que os recursos materiais nem sempre são importantes.

Uma história por dia, faz bem aos filhos… e aos pais…

Uma história por dia… desafio-vos a pôr em prática.

Experimentem e partilhem as vossas histórias.

Conceição PereiraAmor d`3ducação